Minhas Redes Sociais

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Caraíbas-Uma experiência inesquecível...

Doce Pecado   Foi em 1995 que tive o privilégio de conhecer esta ilha maravilhosa que se chama St. Martin, ou St. Marteen, após o ciclone "Luis" ter destruído uma grande parte da ilha com ventos de 320km/hora...
Fui convidada a fazer parte de uma equipe de reconstrução em que o meu marido fazia parte, que se deslocava de uma empresa francesa para trabalhar lá.
O meu trabalho era burocrático, compra de materiais, negociação com agências de seguros, orçamentos, enfim, o básico.
Foi uma experiência nova, assustadora, porque não era da minha área, mas agarrei com toda a força pois permitiu-me assim realizar um sonho.
Quando lá cheguei, deparei-me com um cenário muito triste. Coqueiros no chão, iates na berma da estrada, casas destruídas, jardins desfeitos, enfim, um caos...
Mesmo assim, só aquele clima já valia a pena. A água turquesa das praias ainda com destroços pelo meio, era um sonho.
Passado uns meses, tudo voltara ao normal. Esse é o encanto de quem vê de fora a força do povo mediante uma dificuldade e a união que faz a força.
Lá não havia impostos, não havia IVA, andávamos sem cinto de segurança, pois não era obrigatório, certamente porque se circulava a baixa velocidade, não sei...
As "dudus" que são as mulheres de raça negra, tipicas de lá, iam ao super mercado com os rolos na cabeça.
Achei fantástico a simplicidade com que se vivia lá.
As praias era cada uma mais bonita que a outra, havia os bares ao longo das praias com musica sempre a tocar, e de vez em quando, musica ao vivo.
Havia todos os meses na lua cheia, a festa "Full moon" à noite, numa praia com musica ao vivo, fogueira e uma cerveja tipica de lá que era a "Caribe" com um quarto de lima introduzido na garrafa.
A ilha tem cerca de 87 km2. Faz parte das ilhas Antilhas e é dividida em dois, embora não haja nenhuma barreira, apenas uma placa que separa o lado Francês do Holandês.
Lá não há stress, não há preconceito... Tudo é tão simples. Os vizinhos não reclamam se a musica estiver alta, podemos ir ao casino em calções e havaianas, podemos ir à discoteca da mesma forma, não há "chiquesas". A casa nunca estava vazia, havia sempre amigos que apareciam ao fim do dia para beber um copo, conversar, saír.
A alimentação era barata desde que fosse local. Tudo que era importado era mais caro.
A maior parte era à base de grelhados.
Ainda assisti às filmagens da ultima cena do filme speed 2 com Sandra bullock em que o navio embate na cidade (construída só para o efeito do filme) Speed2.  Podem ver neste video ao minuto 3:51
Foi fantástico.
Fizemos amizades, diverti-mo-nos imenso, e se fosse hoje ficaria lá a viver...
Conheci muitas pessoas que foram lá passar férias, e mudaram-se definitivamente para lá.
Deixo aqui uma foto que já é conhecida de algumas pessoas que foi tirada na quinta das borboletas (lado Holandês) onde tive a sorte de uma ter pousado na minha máquina fotoigráfica e ficou registado esse momento mágico.
Quando puder, hei-de lá voltar, e quem sabe desta vez para ficar :)
Entretanto, quem puder, aconselho vivamente a conhecer este pequeno paraíso :)
Para já deixo a promessa de um video que vou publicar com imagens da "minha ilha"
Até já...
Sejam felizes!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Alguma dúvida, sugestão, deixe aqui... Grata.